Workshop senseBox

Evento promovido pelo NIDP trouxe à Escola nova plataforma tecnológica


No dia 10 de dezembro, o NIDP recebeu o pesquisador Mário Pesch para um workshop sobre a tecnologia da senseBox. O evento aconteceu no Laboratório de Criação da Unidade do Ensino Fundamental II.

Mário é um pesquisador alemão, mestre pela University of Münster, que dá palestras  para difundir a plataforma da senseBox. O contato da Escola com o pesquisador se deu através da participação dos alunos na FabLearn, que aconteceu no Uruguai. No evento, nossos alunos participaram de uma palestra, promovida por Mário, que os familiarizou com a tecnologia.

A senseBox funciona como uma miniestação meteorológica portátil e promete um mapeamento do clima de modo aprofundado da área de cobertura, incluindo dados como radiação, temperatura e umidade do ar através de sensores. Essa amplitude de fatores promove o levantamento de dados específicos de cada área que compõe a cidade.

O workshop teve como objetivo aproximar os professores do dispositivo, através da explicação do pesquisador sobre a programação e seus possíveis usos.

Cristian Annunciato, professor do componente de Ciências, foi um de nossos professores que participaram da palestra de Pesch. “Eu achei muito interessante por ser uma plataforma de fácil interação que possibilita o uso por alunos menores”. Cristian ressaltou ainda que a plataforma permite o compartilhamento de dados em nuvem e um uso multidisciplinar do material que são pontos importantes para a inserção no âmbito educacional.

“Durante a conversa, eu e professores de outros componentes pensamos em várias formas de uso da senseBox, em cada uma das áreas de conhecimento, em conjunto com o laboratório de criação”, disse Cristian.

Tatiana Mendes e Ana Paula, educadoras de Tecnologia Educacional, disseram o quanto o workshop é significativo para a questão da tecnologia na Escola. “É muito importante para nós sempre nos repertoriar de novas tecnologias e possibilidades. Do ponto de vista da aprendizagem, a senseBox é muito interessante por ser acessível e prática”,  concluiu Tatiana.

Ana Paula afirmou ainda que a experiência é uma nova possibilidade de trabalhar com outros recursos, uma nova forma de concretizar o aprendizado que está no campo das ideias.

Tivemos também a presença de dois alunos, que participaram do FabLearn. Anita Bertero e Pedro de  Farias comentaram sobre a importância de promover o contato de alunos e professores com novas tecnologias. “Além conhecer outro meio tecnológico, nós podemos pensar em maneiras de agregá-lo, para melhorar nosso processo de conhecimento”, salientou Anita.

Pedro complementou sobre como seria para ele, se a plataforma fosse implementada na Escola. “Seria muito legal para ampliarmos ainda mais os meios que temos para desenvolver projetos em sala de aula”.