Alunas do programa Vivências Interculturais Ampliadas viajam para Suíça

Alunas participam do intercâmbio Summer Swiss Camp Brillantmont, em Laussanne


Entre os dias 6 e 20 de julho, nossas alunas dos cursos do VIA (Vivências Interculturais Ampliadas), dos 5° anos e 7° anos participaram do programa Summer Swiss Camp Brillantmont em Lausanne, na região da Suíça Francesa.

Durante a viagem, as jovens estudavam na parte da manhã e depois do almoço praticavam atividades esportivas e faziam passeios turísticos. Duas alunas estudaram francês e outras duas, inglês. O coordenador de área, Roberto Ravena, que acompanhou a viagem, explicou que a escolha do país tem uma importância por ser um local multicultural. “A Suíça é um lugar privilegiado: diferentes linguagens e culturas convivendo em um espaço que, para as proporções de território brasileiro, é pequeno”.

As meninas ficaram hospedadas em dormitórios estudantis e dentro dos quartos não havia duas nacionalidades iguais, apenas a mesma faixa etária. A aluna Maria Eduarda Pacheco, do 7° ano B, compartilhou que isso a ajudou a conhecer novas pessoas e melhorar o seu aprendizado. “Gostei muito da experiência de conhecer pessoas novas e de como pude aprimorar o idioma”.

Entre as atividades recreativas, estavam presentes: patinação no gelo, boliche, tênis, badminton, natação, entre outros esportes. Elas conheceram o museu de Chaplin, da Nestlé e o Olímpico. Subiram a montanha Le Moléson de teleférico e depois desceram por uma trilha. O professor Roberto relembra que esse momento foi algo desafiador para as meninas e, chegando ao final, todas estavam felizes por conseguir completar o caminho.

Também andaram pela capital da Suíça, Berna, e pela cidade de Lausanne. De acordo com a idade, as estudantes puderam se locomover em grupos, sem um responsável. A jovem Sophia Serra,7°C, contou que isso aumentou a sua autossuficiência e mostrou-se bem orgulhosa pela forma como pôde aplicar os dois idiomas. “Sempre fazíamos passeios e em alguns momentos podíamos andar sozinhas. Isso melhorou a nossa independência, pois ficamos duas semanas com pessoas de outras nacionalidades, que nem conhecíamos, e a forma de nos comunicar era apenas utilizando o inglês ou o francês”.

Além disso, ocorreram três saídas exclusivas para as alunas da Lourenço Castanho que foram acompanhadas por uma das diretoras da Brillantmont International School, Mme. Sarah Frei. Uma delas foi um workshop no museu Alimentarium, em Vevey, no qual as jovens produziram os seus próprios sorvetes e casquinhas. 

Outro local que conheceram foi o Castelo Chillon, Veytaux. Lá utilizaram um guia eletrônico e conheceram as histórias medievais que foram protagonizadas naquele cenário.

Por último, visitaram a sede na ONU, em Genebra. Quando a turma estava lá, acontecia um encontro sobre os direitos dos povos indígenas. Com o auxílio de uma guia, passaram por salas de conferências, os dois prédios e tiveram contato com representantes de várias nacionalidades.

“Estar na sede da ONU abre a perspectiva das meninas, pois, mesmo bem jovens, conseguem ter uma melhor compreensão de atuação no mundo, ampliando o alcance de seus sonhos”, disse Roberto.

No final do programa, houve uma festa de encerramento e os certificados foram entregues.

“O mais legal foi poder fazer amigos de outros países. Fiz amigas da Grécia e da Tailândia. Se não tivesse participado do intercâmbio, provavelmente não iria conhecê-las”, expôs a aluna Beatriz Campos, do 7°C.

A estudante Catarina Serra, do 5°B, lembrou que mostrou brincadeiras típicas para os colegas e se divertiu bastante. “Eu achei muito legal. Participamos de um monte de atividades, estudamos e fizemos vários amigos. Irei voltar ano que vem”.

“Para as meninas, acredito que tenha sido uma experiência bem marcante. Muitas coisas ficam evidentes nesses momentos, uma identidade brasileira que se reforça e o sorriso de quem está tendo novas experiências”, finaliza o coordenador.