Visita ao museu Arqueológico e Etnológico na USP

Obras expostas dos grupos indígenas Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena


Os alunos do 4° ano visitaram o Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) na Universidade de São Paulo, com o objetivo de reforçar os conceitos estudados em classe sobre a formação do povo brasileiro.

As obras lá expostas são fruto de um trabalho colaborativo entre os profissionais e estudiosos do Museu e os grupos indígenas Kaingang, Guarani Nhandewa e Terena. Cada seção foi separada de acordo com os grupos citados, e as cores para representar este espaço foram escolhidas por eles também.

Inicialmente, a equipe de ação educativa explicou às crianças os conceitos de etnologia e arqueologia, e, após a explicação, foi estendida a elas a oportunidade de tirar dúvidas e fazer perguntas sobre o tema. Os alunos perceberam através da observação dos objetos de caça, pesca, utensílios domésticos, trajes, entre outros, que ainda hoje os indígenas preservam seus costumes e culturas.

Essa experiência promoveu uma nova percepção sobre cada grupo estudado. Suas semelhanças e diferenças foram dois assuntos bastante discutidos pelas crianças.

“Estudar os povos, valorizar sua cultura e entender toda a herança cultural que temos no Brasil, são os principais objetivos dessa saída. É importante reforçar que essa é uma construção realizada com outros componentes. Em Ciências da Natureza, por exemplo, os alunos estudarão as ervas medicinais utilizadas pelos indígenas e as plantas em comum que utilizamos.”, afirmou a professora do 4° ano, Renata Leone.

Os alunos ficaram empolgados com tantos objetos que nunca tinham visto antes, e que os ajudaram a imaginar como viviam estes povos. “Gostei de aprender sobre a cultura indígena. Me interessei muito! O grupo que mais gostei foi o Terena, pela cultura, roupas e pela forma que vive.”, comentou Giulia Habid do 4º C. Isabella Milano, da mesma classe, disse que gostou de todos os grupos: “Aprendi muito mais sobre os povos indígenas hoje, e eu não conhecia estes que vimos.”.

Esse assunto será aprofundado em sala de aula. Os alunos poderão expor suas principais impressões e farão comparações entre como acharam que era a vida nas aldeias e como realmente ela é. Além disso, aplicarão tais conceitos em outros componentes, como em Artes, no qual farão cumbucas, objetos que fazem parte da cultura estudada.