fbpx

Instituto Pró-Saber visita Lourenço Castanho

Alunos realizam atividade de integração com participação do escritor Vagner de Alencar.


O Instituto Pró-Saber SP visitou a unidade do Ensino Fundamental II e participou de uma atividade de integração com os alunos que frequentam o Núcleo de Projetos Sociais Lourenço Castanho (NUPS). Na oportunidade, os alunos das duas instituições tiveram contato com Vagner de Alencar, escritor do livro “Cidade do Paraíso”.

Localizado na comunidade de Paraisópolis há 14 anos, o Instituto Pró-Saber SP tem como objetivo oferecer um complemento escolar para crianças de 4 a 17 anos, com foco em alfabetização, além de realizar oficinas de leitura e brincadeiras, relata Luana de Andrade, professora do Instituto.

Quando os alunos do Pró-Saber chegaram à Unidade do Ensino Fundamental II, foram recebidos pelos alunos do NUPS, por Vagner e pelos professores Kadine Teixeira e Juan Ramirez. Primeiro, os alunos de ambas as escolas se dividiram em cinco grupos, e foram distribuídas etiquetas para que colocassem os nomes dos colegas, como forma de interação.

Em seguida, os alunos da Lourenço levaram os alunos do Pró-Saber para conhecerem alguns espaços da Escola e suas funções, como a sala de Música, Biblioteca, sala de Expressão, Laboratório de Criação, entre outros.

Após o reconhecimento do espaço, eles se dirigiram para a Sala de Projetos, onde Vagner se apresentou e contou sua história, desde quando morava na Barra do Choça, na Bahia, até sua chegada a São Paulo, morando em Paraisópolis. Contou também sobre os lugares onde trabalhou e sobre a faculdade de jornalismo que cursou.

Vagner propôs uma atividade a eles, em que apenas os alunos da Lourenço deveriam mencionar palavras que eles associavam a Paraisópolis e que seriam anotadas na lousa.  Em seguida, jornais foram distribuídos aos grupos que deveriam procurar matérias que falassem das periferias, e, por último, Vagner pediu para que os alunos do Pró-Saber SP falassem palavras que eles associam ao lugar onde moram e que também foram anotadas na lousa para fazer uma comparação.

Essa atividade teve como objetivo mostrar aos jovens como a periferia é retratada nos meios de comunicação, além de quebrar com o estigma de que a sociedade naturaliza. “Eu acho que as pessoas não podem pensar que a favela é um lugar ruim, temos que ver os dois lados, que pode ser um lugar bom e ruim também”, afirma a aluna Maria Eduarda Pacheco.

“Eu cumpri o meu papel de fazer com que os alunos enxergassem a periferia de uma ótica com a qual não estão acostumados” conta Vagner sobre a atividade.

Por fim, as turmas do NUPS e do Pró-Saber tiraram dúvidas relacionadas ao livro “Cidade do Paraíso” e tiveram a oportunidade de perguntar ao Vagner quais histórias do livro mais o comoveram, por que foi escolhido esse título, se as histórias são reais, entre outras.

Segundo Kadine, essa atividade de integração é importante porque cria uma percepção de que os alunos irão se conhecer e farão trocas de saberes extremamente importantes, mostrando que ninguém é melhor que o outro e que todos têm muito o que oferecer.

Posteriormente, os alunos farão visitas em parceira com o Pró-Saber para alguns lugares citados no livro, além de irem ao Instituto no dia 29 de março para assistir ao documentário realizado pelos alunos sobre o livro “Cidade do Paraíso”.