Formação com os colaboradores da Educação Infantil

Equipe visita a Associação Maria Helen Drexel.


Coordenadoras de série, professores e auxiliares de classe visitaram, no dia 24 de janeiro, a Associação Maria Helen Drexel. Organizado pelo NUPS (Núcleo de Projetos Sociais da Lourenço Castanho), a saída teve como objetivo aprofundar os conhecimentos dos colaboradores sobre as ações realizadas com as crianças da Educação Infantil.

O coordenador do NUPS, Stefano Bigotti, explica que o intuito desse momento é fazer com que todos os professores conheçam as ações, mesmo que a sua turma não esteja participando de determinada atividade, para que, quando questionados, todos saibam dizer do que se trata. “Há tempo, queríamos propiciar aos professores as vivências realizadas pelo NUPS para que eles pudessem conhecer mais sobre os lugares que visitamos e o trabalho que é realizado nessas ações”, diz Stefano.

A Associação Maria Helen Drexel é uma organização civil que oferece educação, lazer e atendimento a crianças e adolescentes que foram abandonados ou sofreram algum tipo de violação. As crianças permanecem na Associação até completarem 18 anos ou até o momento de adoção.

Ao chegarem ao local, os professores e colaboradores foram recebidos pela gestora da Associação, Roberta Lundi, que apresentou a história, contou como funcionam os espaços e tirou dúvidas de como é realizado o trabalho, explicando como é feito o processo de adoção. Ela também respondeu outras perguntas que foram surgindo no decorrer da conversa.

Em seguida, os colaboradores foram divididos em dois grupos para visitarem as casas da Associação. Eles conheceram os espaços, os funcionários e as crianças que são atendidas e puderam saber um pouco mais sobre essa realidade.

A professora auxiliar, Vânia Correia, comenta sobre a saída. “Achei a Associação muito organizada e pude ver que os profissionais envolvidos possuem um olhar não só pedagógico, mas também um olhar cuidadoso com as crianças e com o espaço. É muito importante esse momento, porque qualquer vivência que tenhamos com algo que vamos transmitir para crianças traz uma propriedade e um envolvimento maior para nós. Ter essas vivências é fundamental”, diz.