Alunos do Infantil 4 visitam o Espaço de Arte Binah

A saída pedagógica integra o Projeto de Série “Um pé de quê?”


No mês de agosto os alunos do Infantil 4 participaram de uma vivência no Espaço de Arte Binah, localizado próximo à Pompeia.

O objetivo da saída foi propiciar o contato dos alunos com uma variedade de folhas e sementes de plantas, tema ligado ao Projeto de Série da sala, intitulado “Um pé de quê?”. “No Projeto Integrador de Série, as professoras promovem a observação desde a semente das frutas, as frutas preferidas e como acontece a germinação”, conta Gabriela Kogachi, Coordenadora de Série do Infantil.

Gabriela conta que a escolha do espaço tem como objetivo estabelecer uma ponte entre o Projeto Integrador de Série e o componente de Artes visuais, já que, durante o primeiro semestre, os estudos são desenvolvidos com base nas texturas presentes em árvores e folhas.

No espaço, os alunos da Lourenço foram recebidos por Stella Barbieri, uma das fundadoras. O primeiro tema tratado por ela foi as sementes. Stella os questionou sobre o que acontecia para que uma semente tão pequena originasse árvores tão grandes.

Ela lhes mostrou que existem sementes envoltas pelos mais diferentes frutos e que possuem outros usos além da germinação, como a semente de urucum, muito utilizada por indígenas para a produção de tintas; a semente do tamarindo, que nasce dentro de uma espécie de “casca”; e a semente do abacate, que apresenta um tamanho muito maior do que as outras.

A primeira atividade foi feita a partir da imaginação das crianças. Foram expostas inúmeras frutas exóticas, como a romã e o cupuaçu, e então as crianças deveriam imaginar como eram as sementes e como era a árvore de que provinha aquele fruto.

Em seguida, foi a vez das folhas. A crianças apontaram diferenças entre as nervuras e formatos e, para a observação ser ainda mais eficaz, utilizaram as folhas para carimbar em massa de modelar e conseguiram notar mais peculiaridades de cada uma.

“O Espaço Binah vem para contribuir com o trabalho de sensibilização e investigação. Essa saída para o Ateliê vai justamente aumentar o conhecimento das crianças sobre as texturas, sobre os tipos de folhas e plantas, que é o objetivo do Projeto de Série” finaliza Gabriela.