fbpx

Vivências em família 2018

Alunos da Educação Infantil participam de oficinas com seus familiares.


No dia 7 de abril, alunos e familiares, pais, professores, coordenação e direção da Educação Infantil, realizaram, na Unidade do Ensino Médio, a terceira edição do evento “Vivências em Família”.

A abertura ficou por conta das bailarinas da Associação Fernanda Bianchini, Companhia Ballet de Cegos, que realizaram o espetáculo “Encantados”. Vestidas de princesas, elas fizeram duas apresentações de ballet e uma de sapateado.

O Núcleo de Projetos Sociais da Lourenço Castanho (NUPS), realiza, em parceria com a Associação Fernanda Bianchini,  um trabalho com alunos do Infantil 3, em que as crianças têm uma vivência com as bailarinas e conhecem um pouco sobre a realidade de pessoas portadoras de deficiência visual.

“A Escola faz um trabalho incrível com os filhos, e é legal fazer isso com os pais também. Não adianta trabalhar as crianças e não trabalhar os pais, o mais importante é trabalhar juntos. Os pais vão sair daqui e vão entender o que as crianças fazem na escola”, afirma Fernanda Bianchini, fundadora da Associação.

Após a apresentação de abertura, os familiares e alunos visitaram as estações com diferentes oficinas que estavam espalhadas pela Escola (no subsolo – térreo – quadra – primeiro, segundo e terceiro andares). Esses espaços acomodaram atividades que envolviam criatividade, descoberta e habilidade física com diferentes linguagens (musicais, artísticas e corporais), conectados com projeto pedagógico da Educação Infantil.

Vivências em Família surgiu da necessidade de fazermos mais encontros com as famílias, de consolidar esse vínculo e de não trazer só o pai e a mãe, mas trazer os avós, os irmãos, os tios e amigos, enfim, todas as pessoas que representam essa unidade familiar”, afirma a diretora da Educação Infantil, Márcia Dalla Stella.

Mais de 10 oficinas foram elaboradas para que as crianças pudessem brincar com seus familiares. A estação “Era uma vez”, localizada no subsolo, reuniu as famílias num espaço aconchegante, com almofadas e lençóis para contar três histórias diferentes: João e o pé de feijão; Cabrito, cabritões e o Homem que amava caixas.

O professor de Música Romeu Manson saiu passeando pela Escola com a estação “Brincadeiras cantadas”, tocando alguns instrumentos musicais, como sanfona e tambor, além de realizar cantigas de roda com as famílias.

No térreo, estavam presentes três estações diferentes. Na “Click em família”, as famílias tiravam fotos divertidas, utilizando perucas e óculos, relacionadas ao tema da Copa do mundo.

Na quadra, estava a estação “Jogo de percurso com desafios”. Lá foi montado um grande jogo de tabuleiro que tinha como objetivo a interação das famílias para concluírem o trajeto realizado. Por fim, na estação “Produção de massinhas”, as crianças interagiram e, depois, levaram massinhas para as suas casas.

Para Janaína Weigel, mãe da aluna Isadora, do Infantil 2, o evento “Vivências em Família” tem uma proposta interessante, pois há a interação direta com os familiares: “Ela estudava em outra escola antes e tinha alguns eventos dos quais os pais participavam, mas não eram tão interativos, eram mais apresentações, e eu estou achando bem bacana as oficinas”.

No primeiro andar, diferentes estações ocupavam as salas, com oficinas relacionadas às aulas de inglês, pinturas, entre outros. A estação “Growing our food” ofereceu vasinhos com diferentes temperos para os alunos e familiares, como parte da oficina de jardinagem. Eles também colocaram em prática o vocabulário que estão aprendendo no curso.

Na estação “Bonecos de Bexiga”, as crianças criaram bonecos contendo farinha de trigo dentro deles, podendo também serem enfeitados com diversos materiais.

Entrelaçamentos Artísticos” era a oficina que estava dividida em três cantos com diferentes materiais, para que os pais e alunos realizassem bordados e pinturas com tinta ou canetinhas. O que foi realizado nessa estação será exposto em um mural da Escola.

Criando com pratinhos de papelão” deixou livre a ideia para construir máscaras em uma base de papelão, mas que pudessem enfeitá-las com diferentes materiais, como lãs, adesivos, entre outros.

Os alunos e pais puderam desenhar e criar diferentes objetos na estação “Desenhando no escuro”, uma sala apenas com luz negra e com objetos fluorescentes, com a intenção de trabalhar a imaginação, a criatividade e a habilidade gráfica.

Na estação “Confecção de carrinhos”, foi possível personalizar carrinhos com sucatas.

No último andar, a sala do laboratório de Química estava lotada com a estação “Pequeno Cientista”, cheia de crianças para realizar um experimento que já acontece em algumas aulas na Escola. Na experiência, é possível ver a transformação do giz imerso em água quando se mistura com detergente, e, a partir desse contato, o giz se espalha e cria desenhos na água, deixando todas as crianças encantadas com o efeito.

Leda Teixeira, avó do aluno Pedro Fushimi de Souza, do Infantil 5, também compareceu ao evento e conta o que achou da experiência: “É a primeira vez que venho e estou achando interessante. Eu achei legal porque vemos a alegria das crianças e a importância do desenvolvimento de uma criança na escola”.

O evento “Vivências em Família” proporciona um contato maior entre as famílias e a Escola, além de levar aos pais algumas atividades que são realizadas com os alunos, como afirma Ana Lepecki, mãe da aluna Luísa do Infantil 2: “Os pais podem ficar mais próximos das atividades que os alunos desenvolvem na Escola, além de terem mais contato com a realidade do dia a dia deles”.