5º Torneio Interescolar de Xadrez Lourenço Castanho

Alunos do 1º ao 7º ano competem com estudantes de outras instituições.


No dia 06 de outubro, foi realizado, na Unidade do Ensino Fundamental I, o 5º Torneio Interescolar de Xadrez da Escola Lourenço Castanho. Alunos do 1º até o 7º ano de diversas escolas participaram do evento. Nessa edição, houve uma novidade: os troféus e medalhas foram desenhados pelos alunos da Oficina de Xadrez e entregues por eles no momento da premiação.

Um dos valores da Lourenço é proporcionar a integração dos alunos. “Competir é bom porque traz uma série de aprendizados, mas a participação também é importante. A criança saber que ela deu o melhor de si e ficar feliz com isso é o grande mérito e não só o resultado. Nós valorizamos muito esse encontro por meio do Torneio de Xadrez”, destaca a professora, Cristiana Fiusa.

Caetano Zammataro, pai do aluno Nicolas Zammataro, do 2º ano B, ressalta a importância do evento. “O Torneio é uma ideia muito legal na formação dos alunos. É uma forma de participar, de aprender sobre disputa, sobre decisão, e eu apoio demais essa iniciativa”, diz.

“É muito importante porque desenvolve o raciocínio e a curiosidade. Participar de torneios é legal para eles porque se interessam mais sobre o Xadrez, sobre o que é o jogo e mostra como é importante não só competir, mas jogar também”, diz Daniela Santiago, mãe da participante Giovana Santiago, da escola Móbile.

Este ano, o Torneio passou por algumas adaptações. “Nós aumentamos para 150 pessoas o número de participantes, além de abrirmos a ‘Categoria Livre’ para os 1ºs, 6ºs e 7ºs anos”, explica Cristiana. Com isso, a Lourenço recebeu mais de 20 escolas participantes entre públicas e particulares.

“É um momento de integração entre as crianças da própria Escola e as crianças de outras instituições, acho essencial esse convívio. Acho que, para eles, poder participar de um momento como esse é vivenciar experiências novas, o que é excelente”, destaca Fabiane Haddad, mãe do Gabriel Haddad, do 2º ano F.

O método adotado na competição foi o Sistema Suíço de Emparceiramento. “Temos cinco rodadas de 15 minutos, esse é o ritmo de jogo para cada participante. Com isso, a rodada pode levar no máximo 30 minutos. Todos os jogadores participam das cinco partidas eliminatórias. Esse é o ritmo de jogo na questão de emparceiramento”, diz a professora. Além disso, durante as etapas, as duplas de jogadores não se repetem. “Eles só podem enfrentar uma vez o jogador, não é possível jogar duas vezes com a mesma pessoa”, ressalta.

Durante as partidas, os pais ficaram acomodados em espaços reservados da Escola. “Até o último Torneio, nós permitimos que os pais ficassem próximos dos competidores, mas por conta do grande número de jogadores, achamos melhor criar um espaço de convivência para eles”, explica Cristina. Os pais e familiares tiveram uma sala com café da manhã para confraternização à disposição deles; sala com exibição do filme “Rainha de Katwe” e a quadra, onde puderam jogar e brincar com as crianças que já haviam finalizado as etapas da competição.

No momento da premiação, foi explicado o processo de produção dos troféus e medalhas. Os alunos da Oficina de Xadrez, que criaram os desenhos, foram chamados para a entrega.

“Foi uma ideia maravilhosa. Os alunos ficaram muito envolvidos, comprometidos e felizes de poderem apresentar uma ideia deles e, assim, contribuir para a premiação”, destaca a professora. O projeto foi desenvolvido em parceria com educadora de Tecnologia Educacional, Ana Paula Soares e a monitora Thainá Araújo. A produção foi realizada na Unidade do Ensino Médio com a cortadora a laser.

Os participantes compartilham a experiência do Torneio. “É a segunda vez que participo e gosto bastante. Acho legal também poder jogar com pessoas de outras escolas, porque fica todo mundo misturado, todo mundo junto”, diz o aluno Tiago Soares, do 4º ano B.

“Eu amei o Torneio, foi um dos melhores de que já participei, gosto de jogar com pessoas do meu nível”, destaca Artur Pelega, do 4º ano A.

“Estou gostando muito. É muito legal jogar com pessoas diferentes porque assim aprendemos as jogadas dos outros e conseguimos fazer estratégias diferentes”, ressalta a participante Gabriela Gonçalves, da escola Liceu Pasteur.

Cada categoria foi dividida entre meninos e meninas para a premiação. Todos os 1ºs, 2ºs e 3ºs lugares receberam medalhas, exceto a categoria dos 1ºs anos. Entretanto, todos os jogadores receberam medalhas de participação.

A classificação geral para a entrega dos troféus teve como resultado: Escola Lourenço Castanho (3º lugar); Colégio Dante Alighieri (2º lugar) e EMEF Professor Neir Augusto Lopes (1º lugar).

Parabenizamos a todos os educadores e alunos que participaram do 5º Torneio Interescolar de Xadrez Lourenço Castanho.