fbpx

Alunos do Ensino Médio organizam debate político

Candidatos a Deputado Federal participam de evento com alunos do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio


No dia 18 de agosto, os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II e os do Ensino Médio participaram de um debate político com candidatos a deputado federal. O evento foi organizado pelo Grêmio dos Estudantes do Ensino Médio e reuniu, além dos alunos, professores, coordenadores e diretores.

Um dos princípios que norteiam o trabalho na Lourenço Castanho é a formação do pensamento crítico nos alunos, fazendo com que, assim, exerçam seu papel de cidadãos na sociedade. “Buscamos pensar nessa formação da cidadania e, mais do que isso, fazer com que os alunos sejam construtores dessa discussão. O debate é a oportunidade de conversarem diretamente com candidatos a deputado federal, de poder confrontá-los, questioná-los e discutir propostas, pontos de vistas e perspectivas”, explica o professor e coordenador, Eduardo Chammas.

Os alunos dos 9ºs anos e os do Ensino Médio ressaltaram a importância de poderem participar do evento e conhecerem as propostas de quem poderá representá-los. “Com o debate, nós conseguimos conhecer e entender um pouco mais daquilo que cada candidato pensa. Assim, temos a oportunidade de ver com qual nos identificamos mais”, diz Mariah Mello, do 9ºA. “Uma parte da nossa sala já vai votar, então, isso é importante para sabermos quem está concorrendo e, assim, participarmos e entendermos o que está acontecendo no país”, complementa Júlia Meireles, da 2ªC.

O evento, que contou com a presença dos candidatos Floriano Pesaro (PSDB), Ivan Valente (PSOL), Mônica Rosenberg (NOVO) e Paulo Teixeira (PT), foi realizado no auditório do Ensino Médio e mediado pelas alunas Clara Helena Vicentin e Chiara Tedeschi. “A proposta veio da direção da Escola, e nós manifestamos que queríamos participar da Comissão. Organizamos, então, o formato do debate, as disposições das cadeiras, a questão do tempo de resposta e também formulamos algumas perguntas, deixando outras abertas para o público”, explica Chiara, 3ªB. “Organizamos tudo previamente, mas sempre acontecem alguns imprevistos, e o mais legal disso foi ver que tínhamos muitas perguntas (dos alunos). Isso mostra que realmente há um engajamento político na nossa Escola. Nós nos deparamos com 150 perguntas e não havia tempo para fazê-las, então, isso foi um ponto alto do debate”, destaca Clara, da 3ªA.

O debate funcionou em três etapas: a primeira com perguntas projetadas num telão para todos os candidatos responderem, abordando os seguintes temas: o papel das empresas estatais no desenvolvimento econômico; problema de evasão escolar e como a Reforma do Ensino Médio contribui para solucionar isso; projeto de lei “Escola Sem Partido” e questionamento sobre corrupção no poder público e/ou agentes privados. Na etapa seguinte, foram perguntas específicas para cada candidato, formuladas pela Banca de Avaliação e, por fim, o último momento foi aberto para as perguntas do público. O tempo de resposta, em média, foi de três minutos para cada candidato.

Paulo Teixeira fala sobre a importância do evento. “Tivemos um debate com perguntas muito bem elaborada e muito bem dirigido. Acredito que é fundamental para a formação dos alunos”, diz. “Alguns ainda não votam, mas já são formadores de opinião e multiplicadores disso, o que é importantíssimo. Eles são a política do futuro que nós temos que criar hoje”, ressalta Mônica Rosenberg. “A Lourenço fez uma dinâmica muito especial (no debate). Além disso, tem feito uma campanha de cidadania, na medida em que envolve os alunos de forma ampla, democrática e pluralista”, destaca Floriano Pesaro.

Após o debate, os alunos compartilharam suas opiniões sobre o evento. “Nós ficamos bem mais próximos deles e perguntamos o que nós queríamos saber e não o que a mídia pergunta, quando fazem as entrevistas. Com isso, conseguimos sanar nossas dúvidas”, diz Daniela Souza, da 2ªA. “Eles esclareceram assuntos sobre educação, a Reforma do Ensino Médio, sobre como o Brasil está configurado e discutiram tudo de uma forma bem ampla, porque eles sabem que o nosso foco não é só a Escola, temos que nos preocupar com o Brasil também, e eles conseguiram trazer esses assuntos da melhor forma possível”, destaca Duílio Beneducci, da 2ªB.