fbpx

Reflexão sobre heranças familiares

Alunos do Ensino Fundamental II visitam o Museu da Imigração.


Os alunos do 7º ano visitaram o Museu da Imigração, localizado no bairro da Mooca, com o objetivo de colher mais informações para a elaboração do projeto integrador de série (Patrimônios e Heranças: Como o passado se faz presente em nossas vidas?), que será desenvolvido ao longo do ano.

A ida ao Museu tem relação com patrimônios e heranças familiares. Os alunos buscaram informações sobre as famílias dos imigrantes, pesquisaram sobre as suas ascendências e imaginaram como os imigrantes se sentiram quando chegaram em um lugar desconhecido. Eles fizeram atividades propostas pelos professores e localizaram seus sobrenomes na parede que contém mais de 14 mil sobrenomes de imigrantes.

Luísa Camarini, aluna do 7º ano B, contou a experiência de visitar o Museu: “Gostei de saber de onde essas famílias vieram e para qual bairro elas foram”.

De acordo com a professora de Espanhol, Patrícia Figueiró, visitar o Museu é importante. Ela afirmou: “Os alunos conhecem todos os processos imigratórios na sala de aula, mas ir ao Museu é uma forma de colocar no concreto, de trazer para a vida real o que aconteceu com essas pessoas quando chegaram aqui”.

O Museu da Imigração tem como propósito o conhecimento e a reflexão sobre o processo migratório, que pode ser observado através de vídeos, objetos, fotos e documentos. Para Isabela Maia, educadora do Museu, é um ótimo lugar parar acabar com preconceitos ainda existentes: “Muitas pessoas procuram o Museu para saber apenas sobre os imigrantes italianos, alemães e japoneses e se esquecem que o Brasil também recebeu imigrantes de outras nacionalidades”.

O Museu ressalta também que a história da humanidade é marcada pelos movimentos migratórios, destacando o povoamento do continente com os primeiros ameríndios e os deslocamentos internos no Brasil, em especial o dos nordestinos.