Professores da Educação Infantil participam de vivências com alimentos

Experiências com os sentidos e exploração de alimentos foram propostas aos participantes.


Para ampliar o repertório de todos os professores da Educação Infantil nas aulas de culinária, foi realizada uma formação pelas professoras do período estendido, baseada no livro “As Linguagens da Comida”, da coleção Reggio Emilia, por meio de uma vivência cheia de experiências para os participantes.

A formação foi desenvolvida com o apoio da direção e coordenação em parceria com a equipe do período estendido: Fernanda Ghitnic, Selma Barbosa, Sheila dos Santos, Thais Kalache e a assistente de coordenação, Carla Toyama.

Com o objetivo de instigar os professores, a formação apresentou outras maneiras de realizar aulas de culinária com mais significado para as crianças. “Há um cuidado da Escola com a alimentação saudável e no modo como a culinária é desenvolvida com as turmas. Então, nós repensamos e fomos vendo outros olhares de melhorar ainda mais esse trabalho nas aulas”, explica a assistente de coordenação, Carla. “Nós trouxemos uma proposta diferente para fazer com que os professores se sensibilizem com as linguagens da comida, tornando a aula um momento diferente. Queremos trazer uma culinária que tenha exploração de sentidos, que traga um conhecimento dos alimentos, dos diferentes cheiros, cores e texturas”, complementa a educadora Fernanda.

Separados em quatro grupos e em quatro salas diferentes, alimentos variados foram expostos, e os professores foram convidados a explorar as verduras, frutas e legumes que havia disponíveis em sua respectiva sala. “Colocamos à disposição lupas, mesa de luz, lanternas, conta-gotas e outros, para poder instigar os professores nessa exploração dos alimentos”, comenta Carla.

Realizadas a exploração e a discussão, a professora responsável revelou para o grupo a receita que deveriam preparar. “Cada grupo ficou responsável por uma receita com os alimentos disponíveis: entrada, prato principal, suco e sobremesa. Após o tempo determinado para o preparo, todos irão com as refeições prontas para a quadra, porém metade dos grupos estará vendada para poder experimentar as comidas”, explica Carla.

Após as experiências das refeições, todos se reuniram para compartilharem as sensações e as opiniões sobre a formação. “A escolha das atividades foi muito boa! Essa experiência e a forma como pensaram e organizaram é um ganho para nós. Uma experiência que a gente leva para a vida”, diz a professora de Artes Visuais, Leila Monteiro.  “Tivemos uma formação que foi além das nossas expectativas. Uma discussão que queríamos trazer à tona e que foi feita da melhor forma possível. Vivemos algo diferente e, agora, também queremos o protagonismo das crianças, para que elas consigam se expressar por meio da comida, nas aulas de culinária”, destaca a coordenadora pedagógica, Vivian Alboz.