Alunos da Lourenço Castanho se apresentam em Conferência Scratch Brasil 2017

Trabalho desenvolvido na Oferta Formativa Ampliada é selecionado para o evento.


Os alunos que participam do “Clube da Programação Scratch”, uma das Ofertas Formativas Ampliadas (OFA) do Ensino Fundamental II, desenvolveram um projeto juntando programação, Kinect e o Scratch, que colaboram em questões da reabilitação motora. O trabalho será apresentado no dia 6 de outubro, na Conferência Scratch Brasil 2017 que acontecerá na Universidade de São Paulo (USP).

O trabalho com o Scratch e o Kinect teve início no ano passado durante as aulas da OFA: “Clube da programação Scratch.

“Há uma preocupação em trazer a programação para os alunos, mas é importante também apresentar um foco para eles, que é a produção de um artefato digital ou eletrônico que envolva o Scratch e que proponha algo para empreender. Assim, os alunos deixam de ser meros consumidores de tecnologia e passem a produzir dispositivos que de algum modo auxiliem a comunidade”, explica o educador de informática, Rodrigo Lemonica.

REHAB (Rehabilitation Software), que é o projeto que será apresentado na Conferência, ganhou novos vieses a partir da Mostra Cultural do ano passado. “A ideia original era integrar o Kinect, que é o sensor do vídeo game Xbox (Microsoft), em um novo jogo. Entretanto, na última Mostra Cultural, surgiu a ideia de associar o trabalho com a fisioterapia”, explica Lemonica. A Escola então viabilizou o contato com o Dr. Fábio Rebelato, que, em visita à Lourenço e após a apresentação do “piloto”, disse que era possível ser utilizado para contribuir com a reabilitação motora dos pacientes. Após a conversa, o projeto recebeu alguns ajustes e o processo começou a ser mais aprofundado com os alunos, para que pudesse atender aos requisitos apresentados pelo Dr. Fábio.

Arthur Depret e Victor Domenech, alunos da Oficina, disseram que tiveram o primeiro contato com a ferramenta durante as aulas e, por conta disso, enfrentaram algumas dificuldades no projeto. “Nunca tinha entrado em contato com o Scratch, mas meus amigos falavam que era bem legal, então resolvi fazer. Sobre o projeto, considero de nível universitário e difícil.  Poder estar fazendo agora, é gratificante”. Victor complementa: “Foi um trabalho difícil de fazer, mas nós enfrentamos os obstáculos que apareceram no meio do caminho. Trabalhar para ajudar pessoas com dificuldades motoras é uma causa muito boa”.

No processo de desenvolvimento do projeto, foi decidido que o REHAB será gratuito. “Sem o Scratch, o custo é muito alto, por conta da necessidade de equipamentos cujo valor é caro. Então, pensamos em realizar algo que seja para todos, que qualquer pessoa que precise possa ter acesso”, diz Victor. Com isso, o único gasto necessário será o Kinect e uma televisão para o uso da ferramenta.

A Conferência, que normalmente acontece nos Estados Unidos no Media Lab – MIT, neste ano, foi fragmentada em alguns países, para celebrar os 10 anos de Scratch, com a presença do criador do programa, Mitchel Resnick. Nessa edição, o tema abordará como o Scratch é utilizado no Brasil, como é o uso em salas de aula, questões de acessibilidade e inclusão. A seleção dos trabalhos ocorre por meio de uma comissão julgadora que determina quais são os projetos que serão apresentados na Conferência. “O nosso foi selecionado por estar dentro dessa proposta de conexões do Scratch com o mundo exterior. Será uma oportunidade de os alunos apresentarem o trabalho para o criador do Scratch, o que é muito interessante. Esperamos que ele consiga ir a todas as apresentações”, diz Rodrigo.

Sobre a apresentação, os alunos compartilham as expectativas. “Estou bastante feliz e ao mesmo tempo impressionado com o fato de saber que o criador poderá estar na nossa apresentação. Acredito que será uma sensação muito boa apresentar o projeto. A nossa dedicação para ajustar todos os detalhes e, agora, poder mostrar isso para todo mundo, valeu muito a pena”, diz Arthur. “Estou muito animado, porque o Scratch é um programa do qual gosto muito, e a possibilidade de o criador poder ver nosso projeto, que está bem legal, é uma honra para mim”, compartilha Victor.

O trabalho selecionado será apresentado pelos seguintes alunos: ARTHUR PADOVANI DEPRET (7º ano); BERNARDO FRANKLIN MULLER LEAL (7º ano); ESTHER REINEZ SILVA (7º ano); FELIPE KOLANIAN PASQUINI (7º ano); FERNANDO BRAGAGLIA DE CASTRO (6º ano); LEONARDO LUIZ SEIXAS IORIO (7º ano); MICHEL YOUSSEF RAMOS (6º Ano); PEDRO BETTY (7º ano); PEDRO PACHECO BECHELLI CORREA (6º ano) e VICTOR DOMENECH DE REZENDE (7º ano).

A Conferência Scratch Brasil 2017 acontecerá nos dias 05, 06, e 07  de outubro no auditório CDI – Centro de Difusão Internacional da USP, em São Paulo. Mais informações em www.scratchbrasil.org.