fbpx

Vivência do Infantil 5 no Parque Ibirapuera

Os alunos tiveram aulas de Artes Visuais, Educação Física e Música.


Os alunos do Infantil 5 foram até o Parque Ibirapuera para uma vivência em um momento de integração com as aulas de Artes Visuais, Educação Física e Música. Lá, eles tiveram uma apropriação do espaço público com atividades de sons, exploração, circuitos e muito mais.

As atividades desenvolvidas fazem parte do Projeto que está sendo construído para a Mostra Cultural da Escola. “Temos um projeto que é composto pela integração das aulas de Artes Visuais, Educação Física e Música. Temos também um tema: Lugares. A ideia é trabalhar com as crianças os lugares imaginários de fantasias e criar, nesse contexto, os seres imaginários deles, pensando também nos sons de ambientações”, explica a professora de Artes Visuais, Leila Monteiro. “Trouxemos algumas atividades que eles já praticam dentro da Escola para um ambiente público e diferente para eles, para que possam ter novas experiências”, complementa o professor de Educação Física do Infantil 5, Douglas Moraes.

A dinâmica das atividades propostas aconteceu em três espaços: jardim, parquinho de brinquedos e nas áreas próximas a árvores.

Na área do jardim, aconteceram as atividades de Educação Física. “Realizamos o Pega-Pega e o Pique-Bandeira que são jogos de evasão, como costumamos falar, em que há a questão da regra: pegar e fugir. Também jogamos futebol que, realizado em um ambiente novo, em um espaço de tamanho diferente ao da Escola, trouxe uma nova vivência para eles”, explica Douglas.

O espaço do parquinho de brinquedos proporcionou um momento livre para os alunos, para que pudessem escolher os brinquedos e também o modo como queriam brincar e aproveitar o momento. “Queríamos proporcionar esse momento livre para que eles pudessem aproveitar os brinquedos, como se fossem os circuitos que realizamos na Escola, com movimentos livres de subir, descer, escorregar, se pendurar… um momento de liberdade, que trabalhamos dentro da Escola e que aqui passa a ser um movimento natural por conta dos brinquedos disponíveis”, diz o professor de Educação Física.

As aulas de Artes Visuais e Música aconteceram juntas, com atividades em que um componente complementou o outro. “O intuito foi dar caraterísticas aos seres imaginários que os alunos criaram na produção artística e juntar a um som compatível com a imagem realizada”, explica o professor de Música, Romeu Manson. “Nessa atividade, estamos trabalhando apenas com elementos da natureza. Até mesmo na questão do som, utilizamos instrumentos de origem da madeira ou castanhas, pedras, sementes que também produzem som”, complementa Leila.

Para essa atividade, foi realizada, em sala, a leitura e sonorização do livro “A Grande Viagem da Senhorita Prudência” de Charlotte Gastaut. “A história fala de uma menina que está no mundo da imaginação e encontra seres imaginários. Nesse mundo imaginário, ela criou um mundo só dela”, diz Leila. Inspirados pela história, a atividade no Ibirapuera se deu em três momentos: exploração em áreas com árvores no Parque; experiências de sonoridade e criação de um ser imaginário.

Os alunos seguiram juntos para uma breve exploração no Parque para encontrarem objetos que pudessem extrair um som e que também pudesse servir para a criação de um boneco. Após realizarem esse momento, a turma se dividiu em dois grupos, em que um criaria sons que harmonizassem com o ser imaginário criado pelo outro grupo. “Nós recolhemos elementos naturais, como folhas, vagens, pedaços de madeiras… e, com isso, realizamos a sonorização para o ser que foi produzido com os objetos encontrados no Ibirapuera, caracterizando o lugar onde ele vive”, explica Romeu.

Posteriormente, as turmas continuarão as atividades para serem apresentadas na Mostra Cultural da Escola.