Encerramento das atividades do NUPS e Pró Saber

Professores e alunos foram ao Parque Ibirapuera para um momento de confraternização.


Os alunos que participam da Oficina Formativa Ampliada (OFA) do Núcleo de Projetos Sociais (NUPS) foram ao Parque Ibirapuera para uma confraternização com os alunos do Projeto Pró Saber que esteve em parceria com a Lourenço em projetos sociais em Paraisópolis.

A oficina, que é organizada pelos professores Juan Carlos Ramirez e Kadine Teixeira, tem como objetivo apresentar outras realidades socioculturais para os alunos. “Para a saída ao Pró Saber, tivemos como proposta fazer com que a turma conhecesse um outro ambiente e entendesse as relações sociais, além daquelas que eles vivem. Assim, eles puderam se sensibilizar com essas realidades e pensar em intervenções que possam diminuir a desigualdade social”, explica Kadine.

Para realizar uma integração ainda maior, os alunos da Lourenço foram a mais alguns encontros para que pudessem participar dos projetos sociais desenvolvidos pelo Pró Saber, como o “Projeto Literário”, realizado na Unidade Básica de Saúde (UBS), e o “Projeto Recreio” na Escola Estadual Homero dos Santos Forte Professor.

Os alunos que realizaram a ação na UBS (Projeto Literário) leram histórias no “Cantinho da Leitura” para crianças que esperavam por atendimento. “Com a espera pela consulta, as crianças acabavam ficando ociosas.  Pensando nisso, os alunos resolveram levar leitura para o lugar. Uma maneira de entreter as crianças e de levar uma nova perspectiva cultural”, comenta a professora. Já o grupo que seguiu para a escola estadual colocou em prática o “Projeto Recreio” no intervalo. “As crianças do Fundamental I iam para o intervalo e não tinham com o que brincar nem outro tipo de brincadeira que fosse dirigida por alguém. Então, o projeto analisou essa situação e viu que seria uma boa oportunidade para realizar monitorias de brincadeiras e de jogos coletivos durante o período do recreio”, diz Kadine.

Além desses projetos, uma parte da turma ficou no Pró Saber para o “Ler e Brincar” que também é um projeto de leitura e brincadeira realizado na instituição.

Sobre a experiência dos alunos nos projetos, Kadine comenta que percebeu um amadurecimento neles. “A turma foi muito responsável e assumiu a intervenção nos lugares onde foram realizados os projetos. Acredito que cresceram e amadureceram com a experiência que tiveram”, destaca. O professor de Jogos e Brincadeiras do Pró Saber, Luiz Felipe Pena, comenta sobre a integração entre os alunos. “Imagino que tenha sido um desafio muito grande para eles, porque não é fácil sair de um lugar, com o qual estamos acostumados, para irmos conhecer novas pessoas para brincar e trabalhar com elas. Então, isso foi algo que, aos poucos, fomos superando e estabelecendo uma integração bem bacana entre eles”, diz.

Para encerrar a parceria neste ano, os alunos e professores (do NUPS e do Pró Saber) se encontraram no Parque Ibirapuera para um momento de confraternização e brincadeiras.

A aluna Gabriela Cipovicci, do 6ºB, diz que a experiência foi muito legal. “Essa saída ao Pró Saber me fez perceber que existem muitas pessoas com uma vida diferente da minha e que vivem perto de mim. Perceber esse olhar foi muito interessante, além de toda a vivência que foi muito bacana”, diz. A colega de classe Marina Mônaco complementa dizendo da integração. “Achei que a aproximação com eles seria difícil e que cada um ficaria em seus grupinhos, mas foi totalmente diferente. Conversei com alguns e vi que eles são muito legais. Eu gostaria muito de fazer isso de novo”, conta.

Já as alunas do Pró Saber, Samila dos Santos e Beatriz Pontes, falaram o que acharam das atividades com a Lourenço. “A experiência foi muito legal pelo fato de conhecermos pessoas de realidades diferentes, poder ter a oportunidade de aprender e também de ensinar com eles”, destaca Samila. “A princípio, achei que seria algo complicado fazer integração, mas pude perceber que foi totalmente o contrário. Interagimos bastante e nos entendemos muito bem, seja nas conversas ou nas brincadeiras”, diz Beatriz.